O ESPETÁCULO TRAZ A PRIMEIRA VERSÃO para o teatro brasileiro d’O Legado de Eszter, livro com mesmo nome do maior escritor húngaro Sándor Márai.

Nossa montagem chega em tempos de questionamento profundo e necessário sobre intolerância e posicionamentos na arena pública, propondo o exercício tão vital do questionamento, da dúvida, assim como da compreensão essencial do outro.

Num universo prosaico: uma mulher e um homem - a beleza do encontro, que rapidamente cede lugar à manipulação e seu poder deletério sobre a vida de um grupo de pessoas: devastador.

O texto trata de dominação, mas também de amor e seu expediente sobre o perdão. E intimamente nos indaga:
De que são feitas as crenças tão poderosas para mudar rumos e definir destinos? 
Outra pessoa é apenas o que ela é ou o que desejamos que ela seja é mais determinante? 
O que intervém em nosso sono, saúde, fome e alegria ou pesar? 
A expectativa da correspondência do afeto, a crença na reciprocidade, a fé de ter encontrado finalmente o par bastam, apesar dos fatos? 
A intenção vale mais do que a ação?
 
Palavras e promessas se sobrepõem à realidade, mesmo quando não encontram respaldo nos sucedidos? 
Quais são os caminhos que nos levam à rendição?

Entre estas questões transcorrem histórias surpreendentes e se desenrola uma trama profundamente humana que reverbera e cala em cada um de nós. Sem dar espaço para conclusões apressadas ou rasas, nos oferece fartas reflexões, numa experiência de fruição artística que transcende o palco e transpõe para a vida ordinária uma profusão de possibilidades.

 Atual e atemporal, “O Legado de Eszter” traz para a contemporaneidade digital, veloz e tão mediada por telas e aparelhos eletrônicos, o proveito do mais humano em cada um de nós.

  • Facebook Black Round
  • Instagram Black Round